7.24.2006

Anestesiada

Anestesiaram tudo, a única coisa que sinto são minhas mãos agitadas e frias. Meus pés continuam fincados no mesmo lugar, inertes a tudo e a todos. Criei raízes tão fortes que vou virando conforme a brisa sopra.
Essas mesmas mãos que se agitam não dizem nada. Foi cortada até minha capacidade do expressar. Praticamente virei um vegetal, dos meus sentimentos e vontades.
Quando isto aconteceu? Onde fui que perdi a última essência de viver ? Não, não é um viver qualquer e genérico. É o viver de realizações, dos sentimentos a flor da pele, o palpitar incansável de um coração a espera de outro. Há duras pedras. Há ainda o toque e o cheiro, são saudades incansáveis de sentir.
Os ouvidos, estes ouvem apenas músicas que traduzem um pouco do que sinto, mas que não crê em nada do que é dito. A boca só serve de alegoria aos tristes olhos que lhe fitam. Acho que perdi realmente minha porção de mulher.


Não era nada disso que eu queria escrever, saiu isso. A verdade é que mal consigo escrever um texto, estou anestesiada de sentimentos que, talvez, poderiam ser expressos aqui neste canto. Travei os dedos, está é a realidade

5 comentários:

Thali disse...

Meu Deus, fiquei pasma! Imagens poderooosas!!!!!!
Vi, tem umas coisas geniais ai, mas põe essa morbidez pra correr logo.....naum quero te ver assim.
Beijossssssssss parceira

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

Anônimo disse...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»